quarta-feira, 22 de junho de 2011

Meu amor como o mundo parece-me tão belo hoje,

como parece tudo tão suave como a tua pele branca.

Deixa-me fazer, do teu corpo, o rascunho para os meus versos…

Deixa-me gravar o que amanhã esquecerei…

Com o tempo virá a saudade de dias como este, cheios de esperança e amor!

E, se o registar, lembrar-me-ei sempre que olhar para ti,

as palavras que uma vez escrevi,

e a tristeza será fugaz, pois é impossível ser-se infeliz quando se ama alguém assim.

1 comentário:

MartaCristina disse...

Isto está TÃO belo. Tão poético.
Os meus parabéns.